Informações e Consultas: (34) 3088-9563 | (34) 3256-6300

Dúvidas

Dúvidas2019-10-04T00:02:25-03:00

Veja aqui as dúvidas mais recorrentes que temos respondido, caso não encontre sua dúvida, não exite em nos enviar sua dúvida.

No tratamento da endometriose, quando é indicado o uso de medicamentos?2019-03-30T23:10:14-03:00

Nas mulheres jovens onde provavelmente a endometriose encontra-se numa fase inicial e naquelas adultas jovens que não desejam ser submetidas a procedimento cirúrgico devemos utilizar de tratamentos clínicos.É discutido o tratamento com medicamentos após uma cirurgia radical, sendo aceito por alguns autores respeitáveis.
Depois da laparoscopia, quando a doença está num estágio avançado, costuma-se indicar uma medicação para suprimir temporariamente a menstruação. São geralmente medicamentos que bloqueiam a função ovariana para a paciente ficar de três a quatro meses em repouso hormonal e recuperar-se. Depois disso, a possibilidade de a doença voltar existe, porque o retorno da função menstrual pode determinar o reaparecimento das lesões. Por isso, em alguns casos, é preciso bloquear a menstruação por mais tempo e tomar cuidado depois das gestações para que não haja recidivas. A cura da endometriose depende da boa administração da doença e nem sempre representa a extirpação eterna dos focos porque, em alguns casos, eles podem voltar.
Gostaria de deixar claro que a utilização desses medicamentos ainda não é consenso na literatura médica e que cada paciente deve ser avaliada individualmente como idade e desejo reprodutivo.

Qual valor da laparoscopia no diagnostico e no tratamento?2019-03-30T22:47:14-03:00

Nos dias atuais em virtude da existência de meios diagnósticos ( ultrassonografia e Ressonância Nuclear Magnética) precisos que nos fornece praticamente uma certeza da localização e intensidade da endometriose, torna-se desnecessário submeter uma paciente a laparoscopia diagnostica,  podendo submetê-la diretamente a um único processo cirurgico para um tratamento precoce, podendo haver a participação de uma equipe multidiciplinar ( proctologista e urologista).
A laparoscopia ainda é o melhor meio para se tratar a endometriose, não podendo garantir uma cura definitiva, uma vez que pequenos focos ainda em estágios iniciais podem passar desapercebidos e continuar se desenvolvendo, assim como novos focos poderão surgir.
Depois que se faz um inventário da cavidade abdominal, identificando todos os  pontos com comprometimento pela doença, procura-se ressecar sempre que possível todas as  áreas comprometidas. Em relação aos cistos ovarianos, a preocupação é tratalos, porem não medindo esforços para preservar as funções desse órgão ( produção hormonal e fertilidade), uma vez que na maioria das vezes as pacientes são jovens e têm desejo reprodutivo. A laparoscopia é o método mais indicado para diagnóstico e tratamento dessa doença, visto pela qualidade de imagem obtida, uma vez que cada dia temos aparelhos mais modernos que ampliam e definem a imagem a níveis superiores ao olho humano. Obviamente, a cirurgia aberta é também uma alternativa, mas não atinge os objetivos  para remover as lesões de endometriose, disseminadas pela cavidade e não nos fornece uma boa visão na identificação dos focos de endometriose, aumentando as possibilidades de reincidência, aderências e infecções no pós operatório.

A endometriose pode virar câncer? Dizem que mecanismo das duas doenças tem muitas similaridades.qual a sua opinião nesse sentido.2019-03-30T22:46:28-03:00

O mecanismo das duas doenças tem muitas similaridades. Sabe-se, porém, que a relação entre endometriose e câncer é muito pequena, em torno de 0,5% a 1% dos casos. Na verdade, apesar de não caracterizar uma doença maligna, a endometriose se comporta de modo parecido, no sentido de que as células crescem fora de seu lugar habitual. Embora, na maioria das vezes, esse crescimento não tenha conseqüências letais, acaba provocando muitos incômodos. Por isso, tornou-se foco de atenção dos profissionais que lidam especificamente com essa doença.

Alguns estudos apontam que existe um fator hereditário que deve ser levado em conta nos casos de endometriose. Entretanto, existem outros fatores de risco que devem sempre ser levados também em conta?2019-03-30T22:46:05-03:00

Sim. Trabalhos indicam que a herança genética nos parentes de primeiro grau a prevalência de endometriose e/ou adenomiose tem risco relativo de 6 vezes. Sabe se também que existem outros fatores, entre eles adiar a gravidez para idade mais avançada quando a mulher estiver atingido uma estabilidade financeira, exemplo: curso superior, mestrado, doutorado, etc. Em contrapartida aquelas que quando jovens iniciaram sua vida reprodutiva e se possível com maior numero de filhos, estariam mais protegidas.

Os sintomas da endometriose podem confundir ou retardar o diagnóstico da doença?2019-03-30T22:45:42-03:00

Não existe relação entre a intensidade da endometriose e os sintomas da paciente, isto é, podemos encontrar pacientes com endometrioses leves com sintomas intensos e ao contrario ter pacientes com endometriose severa e mínimos sintomas.
O mais importante para se chegar ao diagnostico de endometriose é saber ouvir o que a paciente está se queixando e ter conhecimento sobre a doença para extrair os dados necessários é ter a suspeita clinica da doença, em seguida fazer um exame físico correto, identificando  alterações anatômicas que essa paciente possui. A grande maioria têm-nos procurado por cólicas menstruais intensas e/ou  infertilidade, o primeiro e mais importante sintoma. Muitas vezes, são cólicas que incapacitam de exercerem suas atividades habituais. A dor pode ainda manifestar-se durante a relação sexual, quando o pênis encosta no fundo da vagina provocando uma dor muito forte que em algumas pacientes ocorre recusa em ter relações sexuais com medo da dor, causando complicações conjugais .

O que é a endometriose, onde ela pode ser encontrada e suas causas?2019-03-30T22:44:30-03:00

A endometriose é uma doença que se caracteriza pela presença de células endometriais fora da cavidade uterina. Estas células fazem parte do endométrio, que é uma camada que se encontra no interior da cavidade uterina forrando-a internamente. trata-se de uma doença estudada há muito tempo, as primeiras teorias sobre o assunto têm mais de cem anos. A origem da endometriose é explicada por mais de uma teoria, porem a mais provável baseia-se no refluxo  da menstruação pela trompa uterina contendo sangue e tecido endometrial, alcançando a cavidade abdominal, nela podendo-se implantar e crescer sob a ação dos hormônios femininos(Teoria de Sampson). Sabe-se, que provavelmente todas as mulheres apresentam refluxo menstrual para a cavidade abdominal, porem somente em torno de 15 %  irão desenvolver endometriose. Pode-se concluir que alguns fatores permitem a instalação dos implantes na cavidade peritoneal, entre eles, o sistema imunológico da mulher, havendo uma deficiência na proteção contra o tecido endometrial agressor, ou o poder de agressividade presente nas células que foram transplantadas para a cavidade endometrial ser maior que a defesa do organismo.
Os locais mais freqüentes de se encontrar endometriose são os mais próximos ao útero como: ovários, peritoneo pélvico retro-uterino(chamado de fundo de saco de Douglas que é o espaço entre a vagina e o intestino), ligamento útero-sacro,  ligamento largo posterior, bexiga, intestino, apêndice e o diafragma.
Entretanto, podemos encontrar tecido endometrial em outros locais do corpo, como nos pulmões e até mesmo no cérebro conforme relatos na literatura, sendo assim possível a explicação dessa doença poder ter outras formas de disseminação.
Sabemos que a doença pode se tornar profunda invadindo a bexiga, intestino onde poderá provocar graves complicações. Embora seja menos freqüente, é essencial fazer o seu diagnóstico precoce para alcançar sucesso terapêutico.
Quando o tecido endometrial tem a capacidade de invadir a musculatura uterina promovendo o aumento volumétrico do útero, cólicas menstruais intensas e hemorragias esta forma é denominada de adenomiose.
Após cirurgias de cesárea poderá ocorrer implantes de endométrio na parede abdominal.
Atualmente, a endometriose é a doença ginecológica mais pesquisada no meio médico, no mundo. Esperamos descobrir a causa da doença, pois assim chegaremos a um tratamento cada vez menos invasivo do processo e com chances reais de cura.